E o melhor da vida é a família, os amigos e comer bem! 
Já tenho dito em várias publicações que prezo muito as boas amizades. Não tenho muitas, mas tenho todas aquelas que preciso.
A vida foi-me dando de tudo, e eu só carrego no meu coração o que realmente faz sentido. Já perdi algumas pessoas, muitas ficaram pelo caminho, mas outras tantas acompanham o meu caminho.
E são essas que dou valor. Que estão lá, sempre. Pessoas que espero levar pela minha caminhada fora.
 
A Anusha é só o ser mais incrível que eu conheço. Conhecemo-nos na Farfetch, entramos na empresa na mesma altura, eu para fotografia e ela para o departamento de styling. A empatia foi imediata. Trabalhamos juntas e fomos crescendo enquanto profissionais, não juntas, mas sempre por perto!
É aquela amiga que quando a saudade nos bate, bate mesmo! E por isso mesmo, de vez em quando lá nos encontramos para matar saudades e colocar as novidades em dia. E este foi o dia.
Lancei o repto de ir conhecer juntas a Oficina do Chef Marco Gomes. Estava na minha lista de locais a conhecer e ainda bem que estava porque valeu muito a pena.

Durante alguns anos da minha vida, fiz figuração no programa Praça da Alegria onde tive o privilégio de conhecer o Chef Rui Paula e o Chef Marco Gomes. Era a minha parte do programa preferida. E eu longe de imaginar que um dia iria ter um blog dedicado à culinária.


O ESPAÇO

O espaço da Oficina é muito agradável. Tem um balcão que funciona como receção com umas luzes led onde se pode ler:”Fuck Art. Lets Eat”. O próprio balcão é uma obra de arte.
Entramos numa segunda parte e deparamo-nos com um sala airosa e bastante espaçosa. No balcão central conseguimos ver a cozinha a funcionar e a organização que se faz sentir. Para não falar na simpatia de todos os colaboradores, incluindo do Chef Marco com quem tivemos a honra de conversar. Obrigada por este momento.

O MENU

Foi-nos servido um Couvert sortido. O que mais gostei foi uma Mousse de Bacalhau que se dissolvida na boca, extraordinária! E a manteiga aromatizada que me apetecia comprar um kilo e trazer para casa…. Tão boa!
Fazia parte ainda do couvert cavala frita e umas batatinhas em azeite também muito saborosas.

A escolha da entrada foi unânime. Optamos, e bem, por uns Bombons de Alheira recheados de Queijo da Serra e Maçã Verde com molho agridoce. Bem, este parto é qualquer coisa! Eu gosto muito de Alheira. Nunca tinha feito a junção da Alheira com Maçã Verde, o que é uma falha minha porque é um casamento mais do que perfeito. A acidez da Maçã, com sabor forte das carnes da Alheira e o molho agridoce combinam na perfeição. A maçã muito bem picadinha por cima da cada bombom de alheira funciona mesmo como a cereja no topo do bolo.

A escolha do prato principal foi difícil, porém acertada. Estávamos inclinadas paras as carnes, mas chegamos à conclusão de que sempre que jantavamos comíamos carne ou assada ou nacos grelhados. Bora lá mudar a ementa.
Acho que o nome nos encheu os olhos e pedimos Pombo Bravo com Risotto do mesmo com castanhas. Nunca tinha comido pombo na minha vida, pelo menos que saiba!

É uma carne mais rija e intensa do que o frango. Muito saborosa e o risotto estava divinal. A castanha é sem dúvida uma boa aposta, não só por estarmos na época dela como também confere um sabor adocicado ao prato para cortar a intensidade do pombo.

Permitam-me dizer isto, mas comi na Oficina a MELHOR RABANADA DO MUNDO!!!
Chef posso ir aí mais vezes comer só esta Rabanada?!

Não é a rabanada qualquer. É uma Rabanada com Gelado de Caramelo salgado e redução de vinho do Porto (não estivesse a Oficina no Porto).
Parece que comi um Petit Gateu em forma de Rabanada. Desde a apresentação, ao sabor, à confecção… dou nota 10 a esta sobremesa! Se lá forem, provem! Vão dar-me razão.

Já a pensar na próxima visita, fiquei com alguns pratos na manga que tenho vou querer experimentar deste Chef transmontano.